O que fazer em Bogotá em uma conexão de algumas horas?

0

Vamos começar uma série apresentando para você os diversos lugares que fomos em nossas férias. Foram duas semanas viajando, em setembro de 2016, quando passamos por Colômbia, Bolívia e Peru.

Neste primeiro texto, apresentaremos alguns locais de Bogotá, capital da Colômbia, para que você visite caso esteja fazendo uma conexão de algumas horas na cidade.

Em nossa ida para La Paz, o percurso incluía pousarmos em Bogotá por volta de 12:30 h e ficarmos lá esperando o próximo voo, que só sairia às 22 h.

Que tal então darmos uma passeada pela cidade? 😉

Na prática, considerando todos os desembaraços de um voo internacional, o trânsito da cidade e que queríamos estar de volta ao aeroporto duas horas antes do próximo voo, acabamos tendo aproximadamente quatro horas livres para aproveitarmos Bogotá. Pouco tempo, mas deu para conhecermos alguns locais que valeram a pena e que aconselhamos a visita, caso tenha a mesma oportunidade que tivemos.

Ainda dentro do aeroporto, logo depois de passarmos pela Receita Federal colombiana, cada um trocou US$ 25 por dinheiro local, o que deu na época uns 75.000 Pesos Colombianos.

Acabamos combinando de antemão, ainda no Brasil, um city tour com uma agência de turismo local, que fez um bom serviço. Estávamos em quatro pessoas e fechamos o valor do passeio por US$ 30 para cada um.

Com um guia, você tem muito mais segurança, perde menos tempo esperando o transporte e seguindo sem dúvidas para os locais a serem visitados, além de ter alguém para poder fazer perguntas sobre a cidade e a cultura local.

E claro que, sem o custo de um city tour, usando taxi ou Uber, e dando uma estudada antes, você irá economizar bastante! Ainda mais se estiver com mais pessoas, possibilitando rachar a conta dos transportes.

Cabe a você fazer os cálculos do custo total e ponderar as opções. O site do Uber possibilita você estimar os valores das corridas, para te auxiliar na escolha.

Quer uma dica? Siga nossas orientações aqui que você pode fazer o mesmo passeio que fizemos usando somente taxi ou Uber, economizando bastante.

Veja abaixo o mapa indicando os locais que iremos apresentar nesse tour por Bogotá.

Cerro de Monserrate

O Cerro de Monserrate é uma montanha de referência para a cidade. É possível vê-la de vários pontos de Bogotá, e com isso temos a grande atração desse lugar: um mirante para vermos a capital beeem do alto.

Fomos então direto para lá, a fim de curtir o visual e também de almoçar.

São duas opções para subir a montanha: teleférico e funicular (um transporte por trilhos), cada um com seus respectivos dias e horários de funcionamento. Os valores também variam a depender do dia, do horário, da idade e do meio de transporte escolhido, mas ficam entre 8.000 a 19.000 Pesos Colombianos (dá para arredondar 1.000 Pesos para R$ 1,00, para facilitar a estimativa dos valores em Real). Haveria também a opção de subir a pé (Sendero Peatonal), mas esse caminho estava interditado por tempo indeterminado, pelo menos quando fomos.

Confiram os horários e valores das tarifas diretamente no site do Cerro Monserrate.

Fomos de funicular, numa subida que dura uns três minutos, passando por dentro da mata, por um túnel e já dando uma boa visão da cidade.

Bogotá está a aproximadamente 2.640 m acima do nível do mar, e o topo do Cerro Monserrate está a 500 m além disso, a 3.152 m. Consequência: ao chegarmos lá em cima e darmos os primeiros passos, os jovens moradores do litoral brasileiro tiveram a primeira noção do essa tal de altitude é capaz! Já nos primeiros passos sentimos uma tonteira e percebemos que tínhamos que andar beeeem devagar e fazermos tudo com muuuita caaaalma…

Mas não passou de uma pequena leseira nesse primeiro dia de altitude alta. No dia seguinte, em La Paz, eu teria uma noção mais impactante, mas essa história fica para depois. Por enquanto, a dica é simples: ande devagar e respire fundo – o tempo inteiro.

Lá em cima, é tudo muito bonito. Os jardins são muito bem cuidados, há aves cantando, a arquitetura dos prédios é bem estilosa e, claro, temos a vista de boa parte de Bogotá. Pena que chovia um pouco e as nuvens acabaram atrapalhando essa nossa visão. Uma vez ou outra o céu abria um pouco e a vista melhorava.

Almoçamos no Restaurante Casa San Isidro, um lugar bem chique! Mas convertendo os valores dos pratos para Real, vimos que cada prato sairia por uns R$ 40 a R$ 60, o que consideramos um bom valor pelo local. Tem sopas de entrada também, mais em conta – eu e Ágnes rachamos um prato principal e uma entrada. E os pratos estavam ótimos! Se você quer comer bem, sem se importar com gastar um pouco mais, indico fortemente!

Lá em cima há também o Restaurante Casa Santa Clara, mas o garçom nos informou que eles não estavam servindo refeições, e sim lanches como tortas e sanduíches. Caso prefira essa opção, é uma boa pedida. Mas dá uma passada lá de qualquer jeito, pois a casa onde fica o restaurante é bem bonita.

No mais, o Cerro Monserrate também apresenta um santuário com belas obras, representações da via-crúcis pelo caminho, missas entre outras obras de arte religiosas.

Centro histórico de Bogotá, museus e Plaza de Bolívar

Saindo do Cerro de Monserrate, fomos para La Candelaria, centro histórico de Bogotá, onde diversos estabelecimentos culturais estão localizados.

A primeira parada foi no Museu Botero, que expõe muitas obras de Fernando Botero. Se não o conhece, o artista costuma fazer pinturas e esculturas sempre representando as pessoas em sua versão gorduchinha. Os quadros são muito bonitos, muito coloridos e para mim apresenta até uma pitada de humor.

Lá também estão expostos quadros de outros artistas que o Botero doou de sua coleção, como vários quadros do Picasso.

A entrada no museu é gratuita, está aberto de segunda a sábado das 9 h às 19 h (exceto terça-feira, quando ele está fechado), e domingos e feriados das 10 h às 17 h.

De lá, fomos para o quarteirão ao lado, no Centro Cultural Gabriel García Márquez – acompanhe no mapa mais acima as localizações dos lugares citados aqui. É um espaço com exposições de artes, biblioteca, cafés e outros itens culturais, fora que observar a própria estrutura do prédio já é bem interessante. Quando fomos, estava havendo uma exposição de quadros de diversos artistas representando a Frida Khalo, cada um no seu estilo. Dê uma passada lá e veja qual é a exposição da vez. Não conseguimos ver mais coisas devido ao curto tempo que tínhamos.

Descendo um pouco mais a rua, já anoitecendo, chegamos na Plaza de Bolívar, uma praça cercada de prédios muito relevantes, como a sede do legislativo colombiano (o Capitólio Nacional), a Catedral Primada (Principal) de Colombia e o Palácio da Justiça.

Aliás, na primeira temporada da série Narcos, do Netflix, tem uma cena em que o grupo guerrilheiro M19 invade o Palácio da Justiça, taca fogo para queimar provas e ainda mata muita gente, entre eles a cúpula da Suprema Corte. Então, estávamos lá em frente a esse mesmo Palácio da Justiça!

Essa praça é um lugar para muitas fotos. E por toda a La Candelária há diversas outras coisas para se visitar, como o Observatório Astronômico, os museus da Independência, de Bogotá e do Ouro e igrejas. Se tiver tempo, explore ao máximo esse centro histórico e cultural.

***

Na volta para o aeroporto, pegamos um pouco de trânsito, chegando um pouco além do horário esperado, mas a programação de chegarmos 2 h antes do voo permitia esse pequeno atraso.

Longe de ser um guia completo de turismo em Bogotá, esperamos que este texto ao menos dê uma pequena clarificada para que você continue as pesquisas sobre o que fazer na cidade e possa escolher com mais precisão as atrações que queira visitar.