Cachoeira da Farofa – conheça a Serra do Cipó

0

Quer visitar a Serra do Cipó e unir o turismo de aventura com o ecoturismo? Então vá de bicicleta até a Cachoeira da Farofa e o Cânion das Bandeirinhas!

Cachoeira da Farofa, no Parque Nacional da Serra do Cipó
Cachoeira da Farofa, no Parque Nacional da Serra do Cipó

As bicicletas podem ser facilmente alugadas dentro do Parque Nacional da Serra do Cipó (Parnacipó) ou em algumas lojas pelo distrito, e elas agilizam muito o deslocamento entre as atrações. Para melhorar, o caminho é simples e não exige tanto esforço.

E esse é mais um caso em que não é só o destino final que importa: o trajeto também encanta! Ver aquele paredão ao longe, de onde vem a queda da cachoeira, proporciona uma visão da natureza fantástica. E chegando lá, ainda temos a beleza da Cachoeira da Farofa em si.

Passeando de bicicleta rumo à Cachoeira da Farofa, no Parque Nacional da Serra do Cipó
Passeando de bicicleta rumo à Cachoeira da Farofa, no Parque Nacional da Serra do Cipó

Bem próximo dessa cachoeira fica o Cânion das Bandeirinhas, que também é acessível de bicicleta. Nós não conseguimos chegar até lá, por falta de tempo, mas fica a sugestão de ir lá sem dúvidas! O caminho continua simples como neste nosso relato.

Continue lendo para saber tudo sobre a Cachoeira da Farofa, veja informações sobre como alugar as bicicletas e aprecie as muitas fotos da região que separamos para você conhecer com mais detalhes a Serra do Cipó.

No final do texto, confira a nossa dica surpresa para fechar o passeio. 😉

A Serra do Cipó fica no município de Santana do Riacho, em Minas Gerais, a uns 100 Km de Belo Horizonte. O distrito é cheio, mas cheio de cachoeiras, com o Parque Nacional da Serra do Cipó facilmente acessível e várias das quedas em propriedades particulares. Também vale a pena conhecer outras localidades próximas, como Lapinha da Serra e a Cachoeira do Tabuleiro, a terceira mais alta do Brasil. Aproveite e veja o nosso post apresentando a Cachoeira Véu da Noiva e a Trilha dos Escravo, que ficam bem próximo do centro do distrito, e outro mostrando como é fazer a Travessia Duas Pontes, Congonhas e Gavião, que passa por diversas cachoeiras, também dentro do Parnacipó. Deixamos ainda um mapa com a localização de dezenas de outras atrações, para você ter uma pequena noção da quantidade de passeios interessantes que pode ser feito por lá.

Como alugar bicicletas na Serra do Cipó?

Confesso que não saímos procuramos exaustivamente pelo melhor lugar para alugar bicicletas na Serra do Cipó. Nós fomos direto na opção sugerida pelo Sr. Gilberto, o proprietário da pousada Todos os Santos Hospedaria, onde ficamos hospedados durante o nosso passeio.

A loja indicada foi a Casa dos Ciclistas. Estávamos em 14 pessoas, então eu liguei dois dias antes para saber se eles tinham essa quantidade de bikes para alugar, e a resposta foi positiva. As opções eram R$ 40 a diária da bicicleta sem amortecimento e R$ 50 a com amortecedor frontal (preços de 2017). Pela quantidade de pessoas do nosso grupo, chorei um pouco e o preço final ficou R$ 43 para cada. O único senão foi que ele não tinha capacete para todos, apenas 10, então, se você tiver oportunidade de levar o seu, fica a dica.

Tudo pronto? Bora então!
Tudo pronto? Bora então!

A Casa dos Ciclistas está localizada um pouco distante do centrinho de Serra do Cipó, a aproximadamente 1,5 Km de lá, mas alugar bicicleta ali tem duas vantagens: a loja leva e busca as bikes na sua pousada e ainda fica no caminho para a Portaria Areias do Parnacipó, a entrada para a Cachoeira da Farofa e o Cânion das Bandeirinhas.

No geral, a experiência de alugar as bicicletas ali foi tranquila, tudo saiu como combinado e nenhuma apresentou defeito – apesar de alguns ciclistas mais experientes do grupo terem reclamado que as bikes poderiam ter sido melhor ajustadas.

Os telefones de contato são os (31) 3718-7362 e (31) 9-9216-9193, e o proprietário é o Roger. A localização exata você pode ver no mapa mais abaixo.

Atenção para o horário de abertura da loja, às 8 h. Se você quiser começar o roteiro mais cedo, converse antes com o Roger para ver se a bicicleta pode ser entregue  no dia anterior. Assim, você adianta a burocracia do aluguel e aproveita mais o tempo no dia do passeio.

Como chegar na Cachoeira da Farofa, na Serra do Cipó?

Após pegarmos as bikes na Casa dos Ciclistas, seguimos em direção à Portaria Areias do Parque Nacional da Serra do Cipó. Descemos então a rodovia MG-010 pegando o ladeirão rumo à entrada de Serra do Cipó e viramos à esquerda logo após a ponte.

Placas na beirada da rodovia MG-010 indicando o caminho para a Portaria Areias do Parnacipó
Placas na beirada da rodovia MG-010 indicando o caminho para a Portaria Areias do Parnacipó

Nesse ponto, há ao menos duas placas indicando o Parnacipó, então não há dúvida sobre o caminho a se seguir. Veja a seguir o mapa que preparamos com o registro dos principais pontos citados ao longo do post e com a trilha que percorremos.

Da rodovia até a portaria do parque são aproximadamente 3 Km, que percorremos em 17 minutos. Aqui vale ressaltar um ponto fundamental que acabou não permitindo que a gente fosse até o Cânion das Bandeirinhas: o nosso grupo era grande e variado, tendo de esportistas que praticam Mountain Bike até pessoas que começaram a pedalar esse ano!

Assim, não conseguíamos nos deslocar tão rapidamente entre as atrações, e por consequência os tempos de deslocamento que vou relatar aqui são bem realistas para pessoas que não estão acostumadas a pedalar. Se esse for o seu caso, pode ficar tranquilo que é totalmente viável visitar essas atrações, e se você se garante na pedalada, considere a distância e alguns trechos com travessia de pinguelas e riachos para calcular o seu tempo de deslocamento.

Portaria Areias, a entrada do Parque Nacional da Serra do Cipó para a Cachoeira da Farofa
Portaria Areias, a entrada do Parque Nacional da Serra do Cipó para a Cachoeira da Farofa

A estrada até a Portaria Areias é de terra, com chão batido, então não tivemos nenhuma dificuldade para chegarmos ao parque. A entrada é gratuita (ao menos até 2017…), bebemos uma água nos bebedouros da recepção, quem quis ir ao banheiro foi, e seguimos as placas rumo à Cachoeira da Farofa.

As placas também indicavam outras atrações daquele lado do Parnacipó: Circuito das Lagoas, Trilha “Prevenção do Fogo”, Córrego das Pedras e Capão dos Palmitos, além é claro do Cânion das Bandeirinhas. Apesar do cânion ser a principal atração dessa região, junto com a Cachoeira da Farofa, fica também a sugestão de visitar essas outras atrações, que são bem mais próximas da entrada do parque, caso haja tempo disponível no seu roteiro.

Placa indicando outros atrativos próximos, com destaque para o Cânion das Bandeirinhas
Placa indicando outros atrativos próximos, com destaque para o Cânion das Bandeirinhas

Saímos da portaria às 9:45 h – tarde para o nosso padrão, mas é a consequência de um grupo grande e variado – e começamos a pedalada até a cachoeira, com o trajeto nos proporcionando cada cena maravilhosa! Constantemente nós víamos um muro gigante de montanhas ao fundo, e é nele que está a Cachoeira da Farofa.

A estrada tem muitas placas sinalizadoras indicando as várias atrações pelo caminho, então dá para ir sem medo de errar.

Rumo ao morro da Cachoeira da Farofa, no Parnacipó
Rumo ao morro da Cachoeira da Farofa, no Parnacipó

E então vimos que o nome Portaria Areias não era à toa: vários trechos da pista tinham muita areia do chão. O negócio é ficar atento e evitar ao máximo passar por cima do areal, buscando a parte mais externa da pista, ou até pequenas trilhas para pedestre na lateral do caminho principal.

Da portaria até o desvio para seguir para a Cachoeira da Farofa, passamos por somente uma pinguela, sem dificuldades. O desvio está bem sinalizado, a 5,6 Km após a portaria, e fizemos esse trajeto em 30 minutos. Agora são mais uns 2,5 Km até o nosso destino.

Pinguela atravessando um dos rios no caminho para a Cachoeira da Farofa
Pinguela atravessando um dos rios no caminho para a Cachoeira da Farofa

A pista continua em boas condições, com o terreno plano e sem inclinações consideráveis. E a paisagem vai ficando mais bonita ainda!

No caminho, só mais dois desafios: uma outra pinguela e a travessia de um rio pisando nas pedras. Basta ter cuidado e atenção que se passa sem tanta dificuldade.

Atravessando mais um rio para chegar na Cachoeira da Farofa, no Parque Nacional da Serra do Cipó
Atravessando mais um rio para chegar na Cachoeira da Farofa, no Parque Nacional da Serra do Cipó

E finalmente avistamos ainda do trajeto a cachoeira lá no fundo!

Avistamos a cachoeira!
Avistamos a cachoeira!

Após uns 8 Km pedalando desde a portaria, deixamos as bikes presas embaixo de umas árvores (a loja forneceu cadeados) e caminhamos os metros finais em uma trilha curta de uns 5 minutos para finalmente chegarmos à cachoeira, com 1:15 h desde a portaria.

Local próximo à Cachoeira da Farofa onde se deixa as bicicletas
Local próximo à Cachoeira da Farofa onde se deixa as bicicletas

A Cachoeira da Farofa é muito bonita mesmo! Uma queda d’água gigante formando um poço para banho bem amplo.

A Cachoeira da Farofa por inteira!
A Cachoeira da Farofa por inteira!

Ela fica abraçada por um lado pela montanha e por outro pelas árvores. A consequência disso é a “falta de oportunidade” que o Sol tem para iluminar diretamente o espaço. Por isso, apreciar a cachoeira por volta do meio-dia acaba sendo uma boa, para pegar o sol a pino. Mas como isso depende da época do ano, estávamos lá às 12 h e o sol passou só nas beiradas.

O poço grande e gelado da Cachoeira da Farofa, no Parnacipó
O poço grande e gelado da Cachoeira da Farofa, no Parnacipó

O poço então fica em sua grande parte do tempo à sombra, e a temperatura da água, que já cai gelada, fica mais fria ainda! Sem problemas para jovens aventureiros como nós. 😛

Entramos na água e fomos tomar banho sentados em pedras embaixo da queda, uma sensação ótima. Relaxamento e paz, só ouvindo o barulho das águas caindo…

E é impressionante que todo aquele frio passa logo, e a gente se acostuma a ficar dentro da água sem sofrer, só curtindo a delícia do local.

Nos banhando na queda das águas da Cachoeira da Farofa
Nos banhando na queda das águas da Cachoeira da Farofa

Almoçamos por lá mesmo e partimos. A ideia então era seguir até o Cânion das Bandeirinhas, mas algumas pessoas não estavam confiantes de continuar até lá, principalmente por não considerarem ter preparo físico para isso (seria uns 30 Km de pedalada no total, se seguíssemos esse roteiro).

Área rochosa ao redor do poço da Cachoeira da Farofa
Área rochosa ao redor do poço da Cachoeira da Farofa

A trilha iria continuar no mesmo estilo da que nos levou até ali, mas considerando o tempo de deslocamento, a distância que ainda teríamos que percorrer e a união do grupo, preferimos voltar para a entrada do parque e aproveitar o dia indo… BEBER! 😀

A dica surpresa do final então é essa: aproveite que está pela região e vá dar uma relaxada desse pedal todo na Venda do Zeca!

O lugar é um boteco e uma mercearia. A cerveja lá estava super gelada e os petiscos também uma delícia. A localização da Venda do Zeca está no mapa do início do post.

***

Por fim, uma sugestão: confira os nossos outros relatos apresentando a Serra do Cipó. Publicamos um texto sobre a Cachoeira Véu da Noiva e a Trilha dos Escravos, ambos lugares lindos de se conhecer, e apresentamos também outras seis cachoeiras no Parque Nacional da Serra do Cipó em uma travessia lindíssima passando pelas Duas Pontes e pelas cachoeiras Congonhas, Gavião, Tombador e Andorinhas. Confira!

Nós e a Cachoeira da Farofa, no Parnacipó
Nós e a Cachoeira da Farofa, no Parnacipó