Conheça a sede de Teresópolis do Parque Nacional Serra dos Órgãos

0

O Parque Nacional Serra dos Órgãos, também conhecido pela sigla PARNASO, é uma gigantesca área de montanhas na Região Serrana do Rio de Janeiro, com diversas atrações, desde espaços para toda a família até trilha de três dias para ser percorrida.

O parque possui três sedes (entradas): Petrópolis, Guapimirim e Teresópolis, esta última justamente a com mais atrações e a que vou apresentar agora.

A sede de Teresópolis possui diversas atrações, desde trilhas leves e moderadas até piscinas de águas naturais para adultos e crianças. Veja no mapa abaixo das atrações de Teresópolis a bolinha “Parque Nacional Serra dos Órgãos (PARNASO)”, indicando a entrada. É bem perto da Feirinha de Teresópolis (Feirinha do Alto), dando para ir tranquilamente a pé.

Logo na entrada, o Poço do Castelo, uma piscina natural rasa, ótima para quem quer mais privacidade, pois poucas pessoas vão lá.

Mais para cima está o Centro de Visitantes, onde você pode tirar todas as suas dúvidas, saber a história do parque, assistir a um vídeo sobre o parque, conhecer curiosidades sobre as formações rochosas e ver uma maquete de todo o PARNASO.

Atrás do Centro de Visitantes, um grande lago artificial, mas com águas vindas dos rios do parque, formando uma piscina natural. É o lugar para se procurar um cantinho para a sua família em algum gramado ou bancos, levar bastante comida e ficar por lá o dia inteiro. Aliás, pelo que eu pude perceber, esse é o grande “clube” das população da região, pois no feriado de Carnaval havia muita gente aproveitando o espaço. A uns 150 m dali, seguindo uma pequena trilha, está o Poço Dois Irmãos, onde também tinha muita gente. Toda essa área é cercada por um bosque, que proporciona muito verde e sombra, e vale a pena dar uma explorada por ali para chegar em um rio, ou em um poço mais isolado e vazio.

Trilhas da sede de Teresópolis

Finalizamos com a área familiar? Agora vamos para a aventura! =D Vamos conhecer as trilhas da sede de Teresópolis. Vou apresentá-las na ordem que uma funcionária do Centro de Visitantes nos indicou percorrer, e não vejo porque não seguir a dica dela.

Outra dica bem importante é que é possível ir até a Represa Beija-flor, a atração mais distante dessa sede, de carro. E durante o percurso dessa estrada principal, dá para ir estacionando em cada entrada de trilha, o que útil para quem tem alguma dificuldade de locomoção ou quer evitar um desgaste maior, mas quer conhecer as trilhas mesmo assim.

A primeira delas é a Cartão Postal, a mais difícil dentre as mostradas aqui, mas no geral é de nível moderado. Do Centro de Visitantes até o início da trilha é 1,5 Km, indo pela estrada de carros e pedestres. A partir de então, é 1,1 Km até chegar no Mirante do Cartão Postal (aproximadamente 30 minutos). A vista é incrível, pois é possível ver o Dedo de Deus e as demais formações rochosas que formam um belo paredão, com a Rodovia Rio-Teresópolis (BR-116) logo abaixo.

Em seguida, vamos voltar para a estrada e fazer o percurso até o final dela, chegando na Represa Beija-flor. Lá há um ponto de água para beber e banheiros. Não é possível entrar na represa, mas paramos para almoçar em um lanche com a natureza. A distância do início da Cartão Postal até lá é 1,5 Km (aproximadamente 30 minutos de caminhada). Durante o percurso, muitas árvores e cursos d’àgua, com belas paisagens.

Descemos pela Trilha Suspensa, que se inicia atrás dos banheiros. Na época que fomos, uma parte dela estava bloqueada, mas mesmo assim deu para curtir. Você caminha bem próximo às copas das árvores e vê a estrada por onde subiu lááá embaixo. No percurso, placas com várias curiosidades biológicas para aproveitarmos mais ainda o passeio.

Descemos da Trilha Suspensa no ponto de interrupção, voltamos para a estrada e mais abaixo entramos novamente na Trilha Suspensa, mas dessa vez para ir à Cachoeira Ceci e Peri, em uma caminhada de 500 m (menos de 10 minutos). Na verdade, não há um caminho fácil para a cachoeira (ou o caminho estava interditado). Ficamos então em um poço um pouco mais abaixo da cachoeira, onde deu para tomar um refrescante banho! Claro, acabei subindo pelas pedras e consegui chegar na cachoeira, mas só recomendo para experientes no quesito salto em pedras molhadas. 😉

De volta à estrada e então pegamos a Trilha Mozart Catão, com 1 Km de extensão percorrido em menos de 20 minutos. No final, o Mirante Alexandre Oliveira, de onde é possível ver grande parte de Teresópolis, inclusive os campos da CBF e o Lago Comary.

Para finalizar, fizemos a Trilha Primavera, uma trilha bem pequena e fácil, com uns 500 m de extensão. O caminho é cheio da árvore palmito-juçara, espécie ameaçada de extinção.

Na saída, passamos por uma graaande família de quatis, tranquilões, doidos para catar a comida de algum turista desavisado (nunca alimente animais silvestres! Isso os prejudica bastante!).

Mais informações

Não podemos falar do PARNASO e não citar a Travessia Petrópolis-Teresópolis! Uma travessia de três dias, que tradicionalmente parte de Petrópolis em direção a Teresópolis, mas dá para fazer o sentido contrário também. Com certeza iremos um dia, mas por enquanto fica a indicação para ler as informações oficiais do site do Parque Nacional da Serra dos Órgãos e ler o relato dA Montanhista sobre como é fazer essa travessia.

A entrada comum, para ficar curtindo só a sede, é R$ 15. Para ver os preços para moradores da região, estrangeiros, estacionamento, camping, dentre outros, confira diretamente no site do PARNASO, ainda mais porque os valores podem ser reajustados.

O parque abre todos os dias, das 8 h às 17 h. É permitida a entrada no parque entre 6 h e 8 h e entre 17 h e 22 h mediante compra antecipada de ingressos.