Vitória – um roteiro de 2 dias para conhecer a cidade

14

Então você quer indicar para um amigo turista o que fazer em Vitória em um final de semana? Ou o turista é você mesmo, e está achando o tempo curto para visitar tantas atrações?

Sem problemas! O Destinões irá te pegar pela mão e apresentar Vitória em um roteiro de dois dias, passando pelas principais atrações da bela capital capixaba.

Vista de Vitória a partir do Parque Fonte Grande, com a Pedra dos Dois Olhos à direita, o bairro Fradinhos em primeiro plano e Camburi ao fundo
Vista de Vitória a partir do Parque Fonte Grande, com a Pedra dos Dois Olhos à direita, o bairro Fradinhos em primeiro plano e Camburi ao fundo

O roteiro abaixo foi feito de forma a indicar atrações próximas em cada período do dia, para reduzir o deslocamento entre lugares bem distantes na cidade, completando ainda com sugestões de lugares turísticos para almoçar e finalizando os dois dias em alguma região com muitos bares e restaurantes.

Vamos assumir que você chegou na cidade em uma sexta-feira à noite, se hospedou e preferiu descansar para começar no dia seguinte bem cedo, ok? Mas se esse não for o seu caso, dá para ir adaptando o roteiro conforme a sua realidade e necessidade. Qualquer coisa, é só deixar na caixa de comentários alguma dúvida que buscaremos te ajudar. 😉

Vitória vista do morro Mestre Álvaro
Vitória vista do morro Mestre Álvaro

Para ajudar no seu planejamento, preparamos um mapa para você ir se localizando a cada atração citada e já ir tendo uma melhor noção do espaço dentro da cidade.

Este post faz parte de uma blogagem coletiva em que seis sites de turismo se juntaram para divulgar um roteiro de 2 dias para conhecer algumas cidades do Espírito Santo. O nosso roteiro apresenta Vitória, mas tem também outros roteiros divulgando Serra, Guarapari, Vila Velha, Marataízes e Santa Teresa. Confira nos links a seguir os sites participantes:

Essa é uma iniciativa do coletivo Capixabas Indicam. Siga o @capixabasindicam no Instagram e no Facebook para continuarem conhecendo os diversos cantos do Espírito Santo.

Turismo em Vitória – 1º dia

Sábado de manhã pede praia, não é? Então vamos começar assim: um passeio bem cedinho pelo calçadão da Praia de Camburi e pelo Píer de Iemanjá. Que tal saírmos às 7 h? Nesse horário, o calçadão já está com muita gente fazendo suas caminhadas e corridas, pedalando pela ciclovia que percorre toda a orla e praticando algum esporte na areia.

O calçadão da Praia de Camburi
O calçadão da Praia de Camburi

A orla de Camburi tem uns 5 Km de extensão. Caminhá-la por inteiro, de uma ponta a outra, leva pouco mais de 1 h e é um ótimo passeio, passando pelos bairros Jardim da Penha, Mata da Praia e Jardim Camburi.

Mas você também pode fazer uso do sistema de compartilhamento de bicicletas da capital chamado Bike Vitória (veja nosso post explicando tudo sobre o Bike Vitória). Alugue uma bicicleta em uma das seis estações de Camburi e faça esse passeio com mais agilidade – e ainda praticando exercício.

A Praia de Camburi, com o Morro do Moreno em Vila Velha ao fundo
A Praia de Camburi, com o Morro do Moreno em Vila Velha ao fundo

Vendedores de água de coco estão espalhados por toda a orla, e recomendamos muito parar em um deles para tomar uma água e comer a massinha do coco, enquanto aprecia a linda vista de Camburi.

Não deixe de passar ainda no Píer da Iemanjá, na ponta da praia junto à Ponte de Camburi e próxima do bairro Praia do Canto. São uns 300 m de píer, e lá na ponta dá para tirar belas fotos da região e de você junto com a estátua.

O primeiro píer da Praia de Camburi, com a estátua da Iemanjá
O primeiro píer da Praia de Camburi, com a estátua da Iemanjá

Mas chega de só olhar e vamos tomar um banho nesse mar! Não recomendamos entrar nas águas de Camburi, devido à balneabilidade ruim ou duvidosa. Para se jogar na água, sugerimos duas praias deliciosas: a Praia das Castanheiras, na Ilha do Frade, e a Praia Grande, na Ilha do Boi, distantes, respectivamente, 2,5 e 3,5 Km do Píer da Iemanjá. Dada a distância não tão grande, dá para ir a pé, de Bike Vitória (deixando a bicicleta na estação da Praça dos Namorados ou na da Praça dos Desejos), de Uber ou de táxi mesmo.

Ambas as praias são ótimas! Na minha opinião, a Praia das Castanheiras é simplesmente a praia mais bonita do Espírito Santo. Falamos bastante dela no nosso post especial sobre a Ilha do Frade.

Praia das Castanheiras, na Ilha do Frade
Praia das Castanheiras, na Ilha do Frade

Se optar por conhecer a Praia Grande, dê um pulo também na Praia da Direita, do outro lado da rua, para decidir qual te agrada mais. Explicamos a diferença entre elas neste post bem completo sobre a Ilha do Boi.

Praia Grande, na Ilha do Boi
Praia Grande, na Ilha do Boi

Curta bastante as praias e, quando a fome bater, corra para conhecer a culinária capixaba, cheia de frutos do mar. Então vamos agora para o local mais tradicional e popular para se comer a Moqueca Capixaba na capital: a Ilha das Caieiras. (E se quiser parar antes no hotel para tomar um banho, fique à vontade. :P)

A Ilha das Caieiras é um bairro que fica do outro lado do maciço central da Ilha de Vitória. Para chegar até lá, táxi e Uber são os modos mais indicados, caso você esteja sem carro próprio ou alugado. Procure no app de mapas do seu celular o caminho para o Restaurante Pirão da Ilha, pegue a Rodovia Serafim Derenzi, siga as placas e a indicação do app e você chegará lá facilmente.

Mesas dos restaurantes da Ilha das Caieiras
Mesas dos restaurantes da Ilha das Caieiras

São diversos restaurantes juntinhos no deck do Atracadouro Ilha das Caieiras. Esse lado da capital é uma área de mangue, com uma bela vista para o morro Mestre Álvaro ao longe. Lá você encontra, além da própria moqueca de peixe, a sua versão com camarão, lagosta e banana-da-terra, além do camarão em si, ostra, casquinha de siri, pirão e várias outras opções de frutos do mar.

Então, escolha a sua mesa, o seu restaurante e aproveite a vista e a comida!

Orla de São Pedro, em Vitória
Orla de São Pedro, em Vitória

Atravessando a rua, em frente ao Restaurante Pirão da Ilha tem uma escadaria que leva até um pequeno mirante da Igreja Nossa Senhora da Conceição. Olhando lá em cima, dá para ter uma visão um pouco mais ampla da região, então vale a subida. E continuando o deck do cais, você chega na orla de São Pedro, um lugar bem estruturado e agradável de se caminhar após o almoço.

Todos de barriga cheia? Então agora é hora de olhar Vitória do alto! Vamos para o Parque Estadual da Fonte Grande, cuja entrada está a 1,5 Km dali.

Voltando para a Rodovia Serafim Derenzi, agora aponte seu app de mapas para a Fonte Grande até chegar no pé do morro do maciço central de Vitória. Dali, são quase 3 Km subindo pela estrada de veículos para chegar a uns 300 m de altitude.

Na sede do Parque da Fonte Grande, você pode apreciar a vista dos dois principais mirantes: um voltado para o mar e outro voltado para o interior. Você estaciona o carro lá no alto e chega nos mirantes a pé, em caminhos bem simples.

Vista do Parque da Fonte Grande para o bairro Santo Antônio, o Rio Santa Maria, Cariacica e o morro Moxuara ao fundo
Vista do Parque da Fonte Grande para o bairro Santo Antônio, o Rio Santa Maria, Cariacica e o morro Moxuara ao fundo

Pode ter certeza, a vista vale, e vale muito! Lá do alto, você vê muita coisa da Grande Vitória, principalmente a própria capital, Vila Velha e Cariacica. Essa visão de Vitória pelo alto é uma oportunidade de conhecer diversos bairros da cidade de uma só vez, além de poder apreciar todo o relevo da ilha, com seus contornos e suas praias.

Vista do Parque Fonte Grande, com destaque para a Pedra dos Dois Olhos e Camburi ao fundo
Vista do Parque Fonte Grande, com destaque para a Pedra dos Dois Olhos e Camburi ao fundo

Nós damos muito mais informações sobre o Parque da Fonte Grande no nosso post exclusivo, que apresenta outros mirantes e trilhas para ter um contato maior com a natureza. Em menos de uma hora você consegue apreciar bastante o local.

Agora, vamos conhecer um dos principais símbolos da cultura capixaba: a panela de barro! Vamos até o bairro Goiabeiras conhecer as Paneleiras de Goiabeiras. As Paneleiras ficam a 11 Km da entrada do parque, seguindo pela Av. Fernando Ferrari, passando em frente à UFES e entrando no bairro – utilize seu aplicativo de mapas no celular que você encontra facilmente.

Galpão da Associação das Paneleiras de Goiabeiras, onde se fabrica a tradicional panela de barro
Galpão da Associação das Paneleiras de Goiabeiras, onde se fabrica a tradicional panela de barro

Lá você pode acompanhar a confecção das tradicionais panelas, desde a moldagem do barro até o cozimento – do barro, não da moqueca. 😛 E, claro, pode comprar uma para você também! São vários tipos de panela, além de outros utensílios feitos pelos integrantes da associação.

Panelas de barro sendo preparadas na Associação das Paneleiras de Goiabeiras
Panelas de barro sendo preparadas na Associação das Paneleiras de Goiabeiras

Tem post especial sobre as Paneleiras de Goiabeiras? Temos sim! Confira aqui uma apresentação da associação e diversos outras informações para você aproveitar melhor o passeio por lá.

Para fechar a tarde, vamos fazer um passeio bem fora da rota tradicional de turismo na capital: um tour no bairro Jesus de Nazareth. O tour é pouco conhecido, mas o passeio é ótimo, bem do jeito que gostamos: tendo contato direto com os moradores e com os empreendimentos da região, incluindo ainda uma subida até o topo de um morro, de onde se tem uma visão bem diferente da Baía de Vitória, do Convento da Penha, da Terceira Ponte e do Morro do Moreno.

E se você conseguir iniciar o tour às 16 h, dá para acompanhar lá do alto um belo pôr-do-sol. 😉

Pôr-do-sol visto do alto do bairro Jesus de Nazareth [Fonte: Tour no Morro]
Pôr-do-sol visto do alto do bairro Jesus de Nazareth [Fonte: Tour no Morro]
O projeto é conhecido como Tour no Morro e realizado pelo Fernando Martins, morador do local. Entre em contato com ele e agende o passeio. As formas de contato estão no nosso post especial sobre o projeto, onde apresentamos todos os detalhes de como é fazer esse tour – nós fomos e recomendamos!

Para fechar o dia, a sugestão é ir conhecer a vida boêmia de uma das noites mais agitadas de Vitória: a Rua da Lama. Esse não é o nome de uma rua, na verdade, mas sim de uma região no bairro Jardim da Penha, bem em frente à UFES. Ali existem vários bares e lanchonetes com especialidades bem variadas, e algum deles irá te agradar!

Dê uma andada pela região, explore um pouco do cardápio de alguns estabelecimentos e curta bastante o ambiente. Tem boteco copo sujo, bar tradicional mais arrumado, casa de sucos, pizza, tapiocaria, hamburgeria, comida japonesa e várias outras opções.

Resumo do 1º dia:

  • Manhã: Calçadão de Camburi e praias das Castanheiras (Ilha do Frade) ou da Direita (Ilha do Boi).
  • Almoço: Ilha das Caieiras e orla de São Pedro
  • Tarde: Parque Estadual da Fonte Grande e Paneleiras de Goiabeiras
  • Entardecer: Tour pelo bairro Jesus de Nazareth
  • Noite: Rua da Lama

Turismo em Vitória – 2º dia

Vamos começar o nosso segundo dia de turismo em Vitória fazendo um passeio de bicicleta pela orla. Aos domingos e feriados, várias vias da cidade são interditadas para veículos e liberadas para que o pedestre e o ciclista possam aproveitar mais o ambiente urbano, tendo um espaço mais amplo para os jovens brincarem e os adultos praticarem algum exercício.

Esses espaços temporários são chamados de Rua de Lazer e ficam à disposição da população das 7 h às 13 h. Camburi e um trecho do Centro de Vitória são os pontos mais movimentados.

Além disso, também em domingos e feriados, somam-se às ciclovias da capital vários quilômetros de faixas de carros que passam a ser exclusivas para os ciclistas, estas funcionando por mais tempo, das 7 h às 15 h.

Estação da Bike Vitória
Estação da Bike Vitória

E é aproveitando todas essas áreas de lazer que a sugestão para iniciar o domingo é pegar uma bicicleta em uma das estações do Bike Vitória e ir conhecer a Praça dos Namorados veja aqui uma apresentação completa que fizemos sobre essa praça.

Em seguida, siga para a ponte de acesso à Ilha do Frade e pare lá em cima para tirar lindas fotos da orla dessa região da cidade. De um lado você irá ver o Iate Clube, a Praia de Camburi mais ao longe, a Curva da Jurema do outro lado, com a Ilha do Boi, e o Morro do Moreno, em Vila Velha. Também aparece no visual a Terceira Ponte e o Convento da Penha.

Ponte de acesso à Ilha do Frade e seus arredores
Ponte de acesso à Ilha do Frade e seus arredores

Só não se esqueça de olhar para baixo e procurar as diversas tartarugas marinhas que vivem por ali. De vez em quando uma coloca a cabecinha para fora d’água, além de muitas vezes ser possível ver todo o corpo delas dentro do mar.

Agora siga para dentro da Ilha do Frade e conheça essa delícia de bairro! Um roteiro bem legal para conhecer o bairro, suas praias e sua natureza pode ser visto neste nosso post.

Lagoa da Ilha do Frade
Lagoa da Ilha do Frade

Depois de lá, volte para a ponte e siga para a Praça dos Desejos, ao lado da Praça dos Namorados. Lá você encontra a Praça da Ciência, a Curva da Jurema, quadras de esporte e um barracão do Centro Náutico Capixaba, onde são guardados veículos de esportes náuticos. Fora o calçadão e a vista… <3

Deck para acesso de cadeirantes até a areia da praia, na Praça dos Desejos
Deck para acesso de cadeirantes até a areia da praia, na Praça dos Desejos

Passe pelos quiosques da Curva da Jurema e siga para conhecer a Ilha do Boi. Outro bairro basicamente residencial e com ótimas praias, assim como a Ilha do Frade, e que tem ainda o Hotel Senac bem no alto, com um linda, mas linda vista da cidade. Confira o nosso post sobre a Ilha do Boi para ver mais detalhes.

Vista da Ilha do Boi para o Morro do Moreno, o Convento da Penha e a Terceira Ponte
Vista da Ilha do Boi para o Morro do Moreno, o Convento da Penha e a Terceira Ponte

Saindo de lá e seguindo a orla por trás do Shopping Vitória, você estará de frente para o Morro do Moreno, em Vila Velha, do outro lado da Baía de Vitória, e passará por baixo da Terceira Ponte, chegando até a Praia do Havaizinho, ou Praia do Meio. Hora de fotos e mais fotos!

Vista da orla atrás do Shopping Vitória - Terceira Ponte e Convento da Penha
Vista da orla atrás do Shopping Vitória – Terceira Ponte e Convento da Penha

Continue pedalando pelo calçadão e depois siga pelas ruas para cruzar o bairro Enseada do Suá, e do outro lado você encontrará a Praça do Papa. Nos anos 90, o Papa João Paulo II esteve nesse local e a partir de então a praça passou por diversas reformas, até chegar na estrutura que tem hoje. A Cruz do Papa é o principal marco de lá, e nos arredores você encontra ainda uma bela vista da Baía de Vitória, uma ótima área para a criançada correr e brincar e o HortoMercado, um centro comercial com supermercado e diversas lojas gastronômicas e restaurantes.

Praça do Papa e a Cruz do Papa, em Vitória
Praça do Papa e a Cruz do Papa, em Vitória

E bem ao lado da Praça do Papa está uma estação do Projeto Tamar! A atração é paga e você pode ter um contato bem próximo com as tartarugas marinhas, em um grande aquário inaugurado em 2017. Mais informações você encontra no próprio site do Tamar.

Novo aquário do Projeto Tamar, em Vitória
Novo aquário do Projeto Tamar, em Vitória

Aqui finalizamos o passeio por uma parte da orla de Vitória. Uma rota muito linda e uma ótima pedalada, cujo tempo variar muito, a depender do quanto você irá curtir cada local. Mas começar bem cedo, tipo umas 7 h, é uma ótima ideia, para chegar a tempo de ter bicicletas disponíveis, para não pegar o sol tão quente e para finalizar o passeio próximo do horário do almoço.

O período de aluguel padrão do Bike Vitória é normalmente de 1 h, mas nos domingos e feriados o tempo de uso se expande para 1:30 h. Não tem problema continuar usando a bike além desse tempo, só que o aluguel será cobrado automaticamente a cada período a mais. Veja as regras e custos lá no nosso post.

Mas se você achar que a pedalada pode ser bem cansativa, ou que tem pouco tempo para fazer tudo, sem problemas, é só ir selecionando os lugares que quer aproveitar mais. Claro, se tiver de carro próprio ou alugado, ou se fechar um passeio com algum motorista de táxi ou Uber, o tour também se torna mais ágil e confortável.

Como alternativa a esse passeio por vários quilômetros da orla, você também pode alugar um caiaque no Centro Náutico Capixaba, na Curva da Jurema, e dar uma navegada pelo mar da Curva da Jurema e da Ilha do Frade. Quando fazemos esse passeio, vemos sempre muitas tartarugas marinhas – já cheguei a contar 17 numa remada -, então, além da vista, você também terá contato bem próximo com esses belos animais. A sugestão é entrar na água até às 9 h, pois assim aumentará a chance de pegar o mar mais calmo, sem aquelas ondinhas e sem vento forte.

Caiaques e outras embarcações náuticas na praia da Curva da Jurema, em Vitória
Caiaques e outras embarcações náuticas na praia da Curva da Jurema, em Vitória

Na hora do almoço, a dica é aproveitar a região e ir conhecer um dos quiosques da Curva da Jurema. Cada quiosque tem sua especialidade, com comidas diferenciadas.

Uma indicação mais específica é ir comer no Kiosque do Alemão. Lá você encontra diversas opções de pratos como arroz de polvo, bobó de camarão e, é claro, a famosa moqueca capixaba. É escolher uma mesa de frente para o mar e ficar admirando a paisagem enquanto degusta uma deliciosa refeição. Os pratos são preparados na hora e demoram para sair, então uma boa dica é ligar antes, fazer o pedido e informar a hora que irá chegar, para ter menos tempo de espera.

A tarde desse segundo dia de tour por Vitória pode ser dedicada para conhecer o bairro Centro. Lá existem diversas atrações para se visitar, entre igrejas e prédios históricos. A prefeitura tem o projeto Visitar Centro Histórico, que propicia para o turista uma visita estruturada com mapa e monitores para apresentar cada uma das atuais sete atrações:

  • Catedral Metropolitana de Vitória
  • Convento de São Francisco
  • Igreja do Rosário
  • Igreja de São Gonçalo
  • Capela de Santa Luzia
  • Convento do Carmo
  • Theatro Carlos Gomes

Durante o passeio você é bombardeado por informações sobre a história de Vitória, que começou nesse bairro.

Convento de São Francisco, no Centro de Vitória
Convento de São Francisco, no Centro de Vitória

No Centro é possível visitar também o prédio onde fica o Governo do Espírito Santo: o Palácio Anchieta. Quando há expediente, o passeio ocorre no andar térreo, enquanto que nos demais dias a visita é no andar superior. O tour também é bem legal e possibilita mais um passeio pela história do Estado. Atenção ao horário, pois nos sábados, domingos e feriados o passeio vai até às 16 h.

E para finalizar o roteiro de dois dias para conhecer Vitória, vamos tomar uma cerveja e comer uns petiscos no famoso Triângulo das Bermudas, uma região no bairro Praia do Canto, bem ao lado da Ponte de Camburi, com diversos bares e restaurantes. Tem ambientes para todos os gostos, e o negócio é ir passando em cada um deles para conhecer e decidir qual se encaixa melhor no seu perfil.

Resumo do 2º dia:

  • Manhã: passeio de bicicleta pela orla de Vitória (praças dos Namorados e dos Desejos, ilhas do Frade e do Boi, Praça do Papa e Projeto Tamar) ou passeio de caiaque pela Curva da Jurema
  • Almoço: Quiosques da Curva da Jurema
  • Tarde: Centro de Vitória
  • Noite: Triângulo das Bermudas

Mais informações sobre o turismo em Vitória

Ufa, acho que deu para passear bastante pela capital do Espírito Santo! Por aqui tem muito mais atrações para se visitar, e um exemplo disso você encontra no nosso post em que apresentamos 20 passeios gratuitos para se fazer por Vitória.

E se achar pouco, existem ainda diversas atrações para se visitar pela Grande Vitória, como o Convento a Penha e as praias de Guarapari. E lembre-se que o estado é pequeno, então um bate-volta ou uma esticadinha para conhecer alguma outra atração pelo interior também é muito fácil de ser feita.

Então, pode vir para Vitória e, por que não, venha turistar o Espírito Santo todo, que lugares lindos para se visitar, como praias e montanhas, de Norte a Sul, não faltam por aqui.

  • Ghaidy

    João como sempre arrasando nas fotos que eu morro de Babar..adorei os locais turísticos e as dicas.
    Parabens tudo muito bem explicadinho.

  • Deivson Santana

    As paneleiras de Goiabeiras é parada obrigatória, a história e cultura do lugar são demais!! O tour no Morro Jesus de Nazareth é incrível também 😀

    • É isso aí, Deivson! Conhecer a tradição das paneleiras é um ponto alto no turismo cultural no Espírito Santo todo.

  • Marcelo Ribeiro

    Gostei da ideia de usar Bike Vitória para fazer o tour, estou querendo fazer isso há tempo. Bom ver o outro lado da ilha (Caieiras) e o Tour no Morro no roteiro. Obrigado por indicar o guia&turismo.

  • Emilia Brito

    Adorei o post – e a parte das bikes (que já tento incluir no meu dia a dia). E gente, que vontade de voltar no Parque da Fonte Grande (ainda mais agora, época de pitanga)!

    • Acabei de olhar para a Pedra dos Dois Olhos hoje cedo… Friozinho de 15º, névoas, que climazinho gostoso de estar lá também! Sem a vista, provavelmente, mas com um clima ótimo!

  • Frederico Lafetá

    Caraca amigo…moro em Vix a 3 anos e já conheço muita coisa…mas seu blog dá um show, apresentando detalhes que até então não conhecia….obrigado!!!

    • Muito legal saber isso Frederico! =D Por favor, continue comentando sobre o que vc gosta aqui pra gente saber que caminho seguir. 😉

      • Frederico Lafetá

        João…qndo vi sua foto achei que te conhecia de algum lugar….rsrs somos colegas de trabalho…abs

        • Legal, Frederico! A gente se esbarra por aqui então hehe. Qq dúvida ou sugestão, só falar comigo. Abraços!

  • Mara

    Eu gosto muito de Vitória e já fiz alguns passeios aí, na época em que morava na capital. Mas o seu roteiro ficou incrível. Parabéns João